Desenvolvimento Econômico | 27/05/2013

Câmara Setorial da Uva e do Vinho Paulista se reúne em Louveira

Foto: Divulgação / PML

Na última quarta feira (22/5), representantes da cadeia vitivinícola paulista estiveram reunidos nas dependências da 46ª Festa da Uva e 3ª ExpoCaqui de Louveira. Os empresários dos segmentos voltados a produção da uva, suco e vinho aproveitaram a III Semana da Viticultura de Louveira para realizar uma reunião paralela em que foi discutido um projeto à longo prazo que deslumbra uma autonomia paulista no que se refere a produção de matéria prima para elaboração de suco de uva e de vinhos de mesa. De acordo com o Cláudio Góes, proprietário da Vinícola Góes e presidente da Câmara Setorial da Uva e do Vinho do Estado de São Paulo, a convocação da reunião extraordinária se deu em função da sinalização do governador Geraldo Alckmin em apoiar um projeto nesse sentido.

Góes esteve em  audiência com o governador no último dia 16 de maio e, aproveitando a presença em Louveira de diversos representantes do setor em função da III Semana da Viticultura, foi convocada a reunião extraordinária para exposição da ideia e início do planejamento de ações visando a formatação de um projeto a longo prazo. Além da parte técnica e financeira o projeto deverá conter também propostas de incentivos por parte do Governo Paulista visando sua viabilização.

Para o Diretor de Agricultura de Louveira, eng. Agrícola Daniel Miqueletto, é uma honra para o município receber tão importantes produtores e empresários do segmento vitivinícola. “Isso mostra o respeito que Louveira vem merecendo em função do trabalho que vem sendo desenvolvido junto a seus produtores. É muito gratificante para nós que essas pessoas estejam reunidas aqui no município em função de um evento sob nossa organização”, destaca Miqueletto que ainda avalia o assunto discutido  “Entendo que a viabilização de um projeto desse porte deva ser viabilizado numa região onde a terra tenha menos valor do que aqui na nossa região. Também precisará de áreas mais planas, mecanizáveis e aptas ao desenvolvimento das parreiras. Talvez  o sudoeste (São Miguel Arcanjo) ou o noroeste (Jales) paulista preencham esses requisitos. De qualquer forma uma proposta dessa magnitude deverá impulsionar todo setor, inclusive os produtores de uva de mesa e os vinicultores voltados ao turismo rural que caracterizam a produção vitivinícola na região do Circuito das Frutas. Por isso também vamos ajudar a construir esse Projeto!”, encerrou Miqueletto.