Saúde | 23/11/2016

Prefeitura reúne secretarias no trabalho de combate a dengue, chikungunya e zika

3Q5A8893.jpg.png

A Prefeitura de Louveira já se organiza para evitar a ocorrência de epidemia de dengue, chikungunya e zika na cidade. Na manhã desta quarta-feira (23), representantes das secretarias municipais e da Santa Casa de Louveira estiveram reunidos para dar andamento à construção do 'Plano municipal para o enfrentamento das arboviroses urbanas' para 2017, que prevê o desenvolvimento de ações integradas para o controle das doenças.

Coordenada pelo secretário de Saúde, José Carlos Bellussi, a reunião alertou a todos quanto a importância de um trabalho intersetorial, com foco na prevenção e controle das doenças por meio da conscientização da população e ações específicas que venham combater o mosquito Aedes aegypti e também reduzir a gravidade e letalidade das doenças mediante diagnóstico precoce e tratamento adequado.
Com o lema 'Todos juntos contra a dengue, chikungunya e zika', a Secretaria de Saúde traçará estratégias para reforçar as ações já desenvolvidas na cidade e que foram efetivadas a partir do Comitê Municipal de Combate a Dengue, Zika e Chikungunya, criado no início de 2016. O Plano de Contingência será instituído por meio de portaria e todo trabalho deverá ser aprovado pelo Conselho Municipal de Saúde, Diretoria Regional de Saúde e Secretaria de Estado."Não tem como a Saúde atuar sozinha. É importante o envolvimento das secretarias e a conscientização da população. Aí sim vamos ter um resultado positivo, quem sabe até reduzindo o número de casos de dengue, que este ano já ficou bem abaixo de 2015", enfatizou Belussi.
A elaboração de estratégias para o enfrentamento das doenças é necessária, principalmente pela persistência de elevados índices de infestação do Aedes aegypti em praticamente todos os municípios brasileiros. Embora Louveira apresente um quadro dentro da normalidade, o município é cortado por rodovias o que facilita o trânsito de pessoas provenientes de outras cidades e aumenta a possibilidade de transmissão. Outro ponto destacado é o registro de surtos epidêmicos de dengue com ocorrência de casos graves e óbitos em diversos municípios, além da introdução dos vírus da chikungunya e zika, transmitidos pelo mesmo mosquito.

Louveira sempre alerta

Embora tenha a preocupação de reforçar as ações para o enfrentamento das doenças, Louveira mantém um trabalho permanente de combate ao mosquito Aedes aegypti, o que contribui para a redução no número de casos de dengue em 2016, mesmo diante de quadros de epidemia registrados em municípios próximos. A cidade reduziu de 363 casos autóctones (contraídos no próprio município) em 2015 para 23 este ano.
Atualmente, o controle do mosquito é feito a partir de um trabalho casa a casa, com visita aos imóveis para orientar moradores e eliminar criadouros; visitas a pontos estratégicos, que são os imóveis que oferecem maior risco de proliferação do mosquito; visitas a imóveis especiais, que apresentam grande fluxo de pessoas; avaliação periódica da densidade larvária; bloqueio de controle de criadouros; nebulização; e campanhas publicitárias com dicas para a população.