Prefeito | 21/12/2022

Prefeitura de Louveira e IAC iniciam projeto que busca adaptar novas cultivares de uvas finas e híbridas italianas para a região

​Este estudo é inédito na principal região produtora de uva do estado de São Paulo.

A Prefeitura de Louveira em parceria com o Instituto Agronômico (IAC), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, iniciou no último dia 19, o plantio de um novo e especial vinhedo experimental, no Centro de Frutas do IAC, em Jundiaí.

 

O prefeito de Louveira, Estanislau Steck, que recentemente foi eleito como Presidente do Consórcio Intermunicipal para Desenvolvimento do Polo Turístico do Circuito das Frutas para o biênio 2023/2024, esteve presente e realizou o plantio simbólico das primeiras mudas de uva desta parceria.

 

“Esta parceria é importante no desenvolvimento dessas novas qualidades de uvas e que garantirão o cultivo, preparo e colheitas corretas das frutas. Estamos nos preparando para novas experiências e logo teremos novidades neste setor rura. Esta parceria tenho certeza que irá gerar ótimos frutas para a vitivinicultura do município e ao estado de São Paulo”, disse o prefeito Estanislau Steck.

 

Através desta parceria, serão avaliadas cinco novas variedades de uvas finas italianas (Vitis vinífera), que serão enxertas em três porta-enxertos e outros 25 híbridos de uvas para vinho resistentes a doenças causadas por fungos, conhecidas como variedades PIWI. Este estudo é inédito na principal região produtora de uva do estado de São Paulo.

 

O pesquisador do IAC, José Luiz Hernandes, explicou que o projeto busca avaliar algumas uvas finas e outros híbridos italianos para a região. “A avaliação agronômica e enológica de cultivares de uvas para vinho é fundamental para subsidiar decisões de implantação e manejo dos vinhedos”, afirmou José Luiz Hernandes, “A pesquisa que estamos iniciando poderá futuramente desenvolver novas cultivares adaptadas para a região, sendo que as uvas finas italianas são conhecidas pela produção de vinhos de ótima qualidade. Outro destaque são os híbridos PIWI, que por serem resistente a fungos permite a redução no uso de defensivos agrícolas, economia de mão-de-obra, de combustível, água e equipamentos, minimizando o impacto ambiental da viticultura e os riscos à saúde de agricultores e consumidores. A sociedade, cada vez mais, procura por produtos com menos impacto ambiental”, completou Hernandes.

 

O projeto conta também com a participação do Viveiro da CooperativiRauscedo(VCR)e da Fondazione Edmund Mach (FEM), ambas do norte da Itália,responsáveis pela produção e envio das mudas para o Brasil.

 

O estado de São Paulo é o terceiro maior produtor de uvas do Brasil, com produção de quase 147 mil toneladas na safra de 2021. O estado do Rio Grande do Sul é o líder, seguido pelo estado de Pernambuco.  A viticultura de maior expressão no estado de São Paulo é a de uvas rústicas para consumo in natura, com predomínio da cultivar Niagara Rosada, que reúne perto de 90% das uvas rústicas do mercado paulista. Ressalta-se, porém, que a viticultura paulista está expandindo para outras regiões, que atualmente estão produzindo outras cultivares.