Fumhab - Habitação | 13/01/2022

MORADIA - CDHU e Prefeitura entregam chaves de 75 apartamentos no Louveira D com geladeira, fogão e micro-ondas

Beneficiários que receberam as chaves são os que já acertaram o contrato de financiamento com a Caixa Econômica Federal

Setenta e cinco famílias de Louveira receberam nesta quinta-feira (13) as chaves da casa própria. Elas já podem ocupar os apartamentos do empreendimento habitacional Louveira D, construído pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo (CDHU), em parceria com a Prefeitura, na Rua Pedro Bassi, na região do Santo Antônio. 

Segundo a Fundação Municipal de Habitação de Louveira (FUMHAB), que deu suporte durante todo o processo, o empreendimento possui, ao todo, 178 unidades habitacionais, mas as chaves foram entregues neste primeiro momento só para os beneficiários que já assinaram o contrato de financiamento com a Caixa Econômica Federal. 

Os beneficiários, que estão na faixa de renda familiar de até R$ 3.636 (três salários mínimos), também receberam, com o apartamento, um kit contendo uma geladeira, um fogão e um forno de micro-ondas. 

No local, a CPFL e a Secretaria de Água e Esgoto (SAE) de Louveira montaram nesta quinta-feira plantões para que os novos moradores pudessem solicitar as ligações de água e luz antes da mudança. 

O secretário de Estado de Habitação, Fernando Marangoni, esteve na cerimônia de entrega das chaves representando o governador João Doria. Ele foi recebido pelo prefeito, Estanislau Steck, pelo vice, Ricardo Barbosa, e pela superintendente da FUMHAB, Maria Regorão.

O presidente da Câmara, Marquinhos do Leite, também participou do evento. Os vereadores Fábio Borriero, Nel da Van, Kaká, Leandro Lourençon, Laércio, Marquinhos Deca, Helinho e Tico da Colina também marcaram presença.

“Estamos muito felizes com este momento tão importante e especial para as nossas vidas. É um sonho realizado para nossa família e para todos que estão sendo contemplados com essa conquista. Queremos agradecer a Deus por este presente abençoado e ao prefeito Estanislau  Steck por essa conquista”, disse Mizael Joaquim da Silva, de 31 anos, que esteve no local para receber as chaves junto com a esposa, Adriana, de 32 anos, e filha Yasmin, de 4 anos.

“Hoje esses apartamentos deixam de ser unidades habitacionais para se transformarem em lares para essas pessoas que vão receber as chaves. Além disso, estamos disponibilizando um kit de eletrodomésticos junto com as chaves. Eu desejo que eles sejam muito felizes nesse nova fase de suas vidas”, disse o secretário de Estado da Habitação, Fernando Marangoni.

“Esse dia, para nós, é motivo de muita alegria. Apartamentos muito bem executados, bem feitos, em parceria com o Estado. O município entrou com o terreno e a CDHU entrou com toda a infraestrutura. Vamos trabalhar ainda mais para que esse local se torne de fato uma comunidade para que essas pessoas possam ter um desenvolvimento social pleno”, disse o prefeito Estanislau Steck.

Louveira D

O empreendimento Louveira D tem 178 unidades habitacionais. São 89 apartamentos de dois dormitórios, com área útil de 73,65m²; 81 apartamentos de dois dormitórios, com área útil de 76,59m²; e oito apartamentos de um dormitório, com área útil de 58,55m². Todos possuem sala, banheiro, cozinha e lavanderia.

As famílias que ainda não tiveram aprovação do financiamento devem verificar a situação junto ao banco. A análise os documentos é realizada exclusivamente pela Caixa Econômica Federal. A Prefeitura não participa dessas avaliações.

Além disso, o empreendimento possui um moderno sistema de energia solar para alimentar a iluminação das áreas comuns, o que vai ajudar a reduzir o valor da conta do condomínio.

Como funciona

Os documentos apresentados pelas famílias são analisados pela CDHU e pelo correspondente bancário da Caixa previamente.

Após a entrega de toda a lista, a análise segue critérios técnicos já estabelecidos e que levam em consideração a existência de restrições de crédito (nome incluído nos sistemas de proteção ao crédito) e renda comprometida (quando a família já possui outros financiamentos em andamento que consomem parte significativa de seus ganhos).

Se aprovados nesta primeira fase, os documentos são encaminhados então para a Caixa Econômica Federal, que vai analisar o financiamento levando em consideração o histórico do solicitante e sua capacidade de pagamento do valor da parcela do imóvel.

A superintendente da FUMHAB, Maria Regorão, ressalta que a aprovação do financiamento é uma questão técnica do banco. "A FumHab e a Prefeitura não têm como interferir neste processo e a Caixa segue todas as regras de aprovação de crédito. No entanto, ressaltamos que desde o início do ano a FumHab tem auxiliado as famílias no diálogo junto ao correspondente bancário, à Caixa Econômica Federal e à CDHU, evitando o deslocamento desnecessário das famílias até a sede da CDHU em Campinas”. 

Quando o pedido de análise é rejeitado, é chamado integrante suplente da listagem do cadastro do sorteio do CDHU.

Em caso de informações, a FumHab disponibiliza o telefone (19) 3878-4440 (falar com Thaís) para a população.