Alterar tamanho do texto
Mudar tamanho
Mudar contraste da página
Alterar Contraste

Água e Esgoto | 19/10/2022

MEIO AMBIENTE - Prefeitura de Louveira concorre ao prêmio Ação pela Água do Consórcio PCJ

Projeto inscrito pelo município na disputa é o Tabarana, que visa a despoluição do Rio Capivari

A Prefeitura de Louveira está concorrendo ao 8º Prêmio Ação pela Água, promovido pelo Consórcio PCJ. O projeto inscrito pelo município é o Tabarana, programa ambiental lançado em 2021 com foco na preservação da mata ciliar do Rio Capivari, das nascentes e, consequentemente, da água. 

No total, a Comissão Organizadora recebeu 83 projetos, divididos em seis categorias. Destes, 78 foram validados para concorrer à premiação. Os nomes dos finalistas serão divulgados no próximo dia 28. 

A Comissão Julgadora está em processo de avaliação das iniciativas, levando em conta cinco critérios: resultados, impacto social, replicabilidade, originalidade e Aderência aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030, em especial, ao ODS 6 – Água potável e saneamento.

Os julgadores são profissionais de renome nas áreas de recursos hídricos, educação ambiental, engenharia e comunicação.

Para avaliação dos trabalhos técnicos, foram convidados: Adriana Leles da Global Report Initiative, a promotora do Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente do Ministério Público (GAEMA), Dra. Alexandra Faccioli, a engenheira civil e professora da Professora da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Synara Broch, Denise Conselheiro do Instituto Akatu, Isis Morimoto do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Glauco Kimura da Unesco/Brasil, o jornalista, escritor e diretor de Tv, Sérgio Túlio, Ricardo Andrade da Agência Nacional de Águas e Saneamento (ANA), e o coordenador dos cursos de pós-graduação na área de saúde e meio ambiente do Centro Universitário Internacional (UNINTER), William Barbosa Sales. 

Os trabalhos de comunicação e imprensa serão analisados por Ciça Toledo, Gilberto Roldão, ambos jornalistas e professores da PUC-Campinas, e Renata Caram, assessora de imprensa da prefeitura de Limeira. 

Sobre o Prêmio
O 8º Prêmio Ação pela Água é promovido pelo Consórcio PCJ e nesse ano terá como tema “Água: Essencial para a nossa saúde e a do planeta”, com o objetivo de reconhecer projetos e matérias jornalísticas que atentem para essa conexão da água com o bem-estar das pessoas e respeito ao meio ambiente.

O Prêmio Ação pela Água é realizado desde o ano 2000 e já reconheceu diversas empresas, municípios e instituições de ensino e pesquisa da região que transformaram a gestão de recursos hídricos. Dúvidas e mais informações podem ser solicitadas pelo e-mail: premio@agua.org.br.

Projeto Tabarana 
Lançado pela Prefeitura de Louveira em novembro de 2021, o Projeto Tabarana visa despoluir o Rio Capivari no trecho que corta a cidade. A ação foi batizada de Tabarana, em alusão ao peixe com esse nome e que, segundo relatos históricos, era encontrado em abundância no rio em um passado recente. Hoje, ele desapareceu por conta da poluição.

O Capivari é um dos principais mananciais hídricos do município, atrás apenas do Córrego Fetá. Sua água é captada pela Secretaria de Água e Esgoto e distribuída, depois de tratada, para a população. Ele tem 180 quilômetros entre a nascente, em Jundiaí, e a foz, no município de Tietê, e passa pelos municípios de Vinhedo, Valinhos, Campinas, Monte Mor, Elias Fausto, Capivari e Rafard.

O projeto de despoluição prevê esforços de todas as secretarias municipais e conta com o envolvimento da população. Foi concebido com etapas de execução de curto, médio e longo prazo, já que envolve ações imediatas e também medidas que demandam mais tempo para serem viabilizadas.

O despejo irregular de esgoto é a principal causa do comprometimento da qualidade da água do Capivari. Em geral, esses lançamentos são feitos a partir de ligações clandestinas que ficam em áreas irregulares.

Para a despoluição, a Prefeitura já está trabalhando para identificar essas ligações clandestinas e interromper o descarte. A previsão é de que o trabalho seja efetivado até 2025 e o descarte irregular seja reduzido de forma significativa ao longo desse período.

Além de reduzir esses lançamentos, o projeto de despoluição também inclui investimentos para preservar a mata ciliar do rio e das nascentes do seu entorno e recuperar essa mata em trechos onde isso for possível. Essas ações serão coordenadas pela Secretaria de Gestão Ambiental.

O projeto prevê mapear também as famílias que vivem às margens do rio e iniciar um trabalho de conscientização ambiental sobre a importância de preservar as águas do Capivari. Essa ação será realizada pela Secretaria de Assistência Social.