Saúde | 26/07/2023

Julho Amarelo: Prefeitura intensifica ações para o combate às hepatites virais

Todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) estão com os exames de detecção disponíveis gratuitamente para os moradores; confira na matéria os sintomas e a lista de todas com endereços e contatos das Unidades

No mês da Campanha do Julho Amarelo, a Prefeitura de Louveira, por meio da Secretaria de Saúde, intensifica as ações contra as hepatites virais. Todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) estão com os exames de detecção disponíveis gratuitamente para os moradores. A vida contra Hepatite B está disponível na Rede Pública de Saúde de Louveira. Confira na matéria os sintomas e a lista de todas com endereços e contatos das Unidades.

“Um mês dedicado para a luta contra as hepatites virais e também para a conscientização da população sobre este tema. Entre os objetivos da Campanha do Julho Amarelo, é chamar os moradores para atualizarem as vacinas e realizarem os exames de detecção. Além de compartilhar conhecimento sobre essas doenças, intensificamos a oferta de exames nas Unidades Básicas de Saúde, que inclusive, no primeiro semestre deste ano, ampliamos em 142% os exames de Radiografia, 306% em Ecocardiograma, 72% em Eletrocardiograma, 58% em Endoscopia, 47% em Coletas e 29% em Tomografia comparados ao mesmo período de 2021”, disse o prefeito de Louveira, Estanislau Steck.

Todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) contam com exames de detecção de hepatite gratuitamente. O exame pode ser realizado de segunda a sexta-feira, das 8h às 15h. A vacina contra Hepatite B também pode ser atualizada no mesmo período conforme o calendário vacinal. Em caso de necessidade, o tratamento contra a doença também está disponível pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

A inflamação hepática, conhecida como hepatite, pode ser desencadeada por agentes virais ou pelo consumo de certos medicamentos, álcool e outras substâncias, além de estar associada a doenças autoimunes, metabólicas ou genéticas.

Os sintomas da hepatite nem sempre se manifestam, mas quando ocorrem, incluem fadiga, febre, mal-estar, tontura, náuseas, vômitos, desconforto abdominal, icterícia (coloração amarelada da pele e olhos), urina escura e fezes claras.

As hepatites virais, foco da campanha "Julho Amarelo", são inflamações causadas por diferentes vírus identificados pelas letras do alfabeto, como A, B, C, D e E.

“As infecções provocadas pelos vírus das hepatites B ou C têm uma tendência a se tornarem crônicas em muitos casos. No entanto, devido à falta de sintomas em muitas pessoas, uma grande parcela delas desconhece estar infectada. Esse desconhecimento permite que a doença progrida silenciosamente por longos períodos sem ser diagnosticada. À medida que a infecção avança, pode causar danos significativos ao fígado, levando à ocorrência de fibrose avançada ou cirrose, aumentando o risco de câncer hepático e podendo requerer um transplante do órgão. Principalmente por esses motivos, é essencial que as pessoas procurem estar em dia com as vacinas e ter sempre uma boa higiene. Através dos exames, que podem ser realizados mesmo sem sintomas, também é possível detectar o HIV”, disse a secretária de Saúde, Marcia Bevilacqua.

Hepatites Virais

Hepatite A: É a forma mais comum e está diretamente ligada às condições de saneamento e higiene. Geralmente, é uma infecção leve que se resolve espontaneamente ao longo do tempo. Existe vacina disponível para prevenção.

Hepatite B: O segundo tipo mais frequente, transmitido principalmente por via sexual e contato com sangue. A melhor forma de prevenção é a vacinação, que deve ser combinada com o uso de preservativos durante as relações sexuais.

Hepatite C: Sua principal forma de transmissão é o contato com sangue contaminado. É considerada uma das maiores epidemias da humanidade, com uma incidência cinco vezes maior que a do HIV/AIDS. A doença pode causar cirrose, câncer de fígado e morte. Infelizmente, ainda não há uma vacina disponível para prevenção.

Hepatite D: Causada pelo vírus da hepatite D (VHD), ocorre apenas em pacientes já infectados pelo vírus da hepatite B. A vacinação contra a hepatite B também oferece proteção contra a hepatite D.

Hepatite E: Causada pelo vírus da hepatite E (VHE), é transmitida por via fecal-oral e pode levar a grandes epidemias em determinadas regiões. Ao contrário de outras formas de hepatite, a hepatite E não se torna crônica. Entretanto, mulheres grávidas que contraírem a infecção podem apresentar formas mais graves da doença.

Formas de contágio

As hepatites virais podem se espalhar de diferentes formas: por meio de contato com fezes contaminadas, especialmente em locais com má infraestrutura de saneamento e higiene; por relações sexuais desprotegidas; pelo contato com sangue contaminado, como compartilhamento de seringas, agulhas, lâminas de barbear e objetos cortantes; transmissão vertical da mãe para o filho durante a gravidez; e hemoderivados.

No Brasil, as hepatites virais mais comuns são causadas pelos vírus A, B e C, sendo menos frequentes o vírus da hepatite D (mais comum na região Norte do país) e o vírus da hepatite E.

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece tratamento para todos os tipos de hepatite, independentemente do estágio de dano ao fígado.

Um grande desafio é a falta de conscientização sobre a existência da doença. Portanto, é recomendado que todas as pessoas com mais de 45 anos façam o teste, gratuitamente, em postos de saúde. Em caso de resultado positivo, o tratamento está disponível na rede pública de saúde.

Prevenção

Prevenção da hepatite A:

- Lave as mãos com frequência, especialmente após usar o banheiro, trocar fraldas e antes de preparar alimentos.
- Utilize água tratada, clorada ou fervida para lavar alimentos consumidos crus, deixando-os de molho por 30 minutos.
- Cozinhe bem os alimentos, especialmente mariscos, frutos do mar e peixes.
- Lave adequadamente pratos, copos, talheres e mamadeiras.
- Utilize instalações sanitárias apropriadas.
- Em locais como creches, pré-escolas, lanchonetes, restaurantes e instituições fechadas, adotar medidas rigorosas de higiene, como a desinfecção de objetos, bancadas e superfícies usando hipoclorito de sódio a 2,5% ou água sanitária.
- Evite tomar banho ou brincar próximo a valões, riachos, chafarizes, enchentes ou áreas onde haja esgoto.
- Não construa fossas próximas a poços e nascentes de rios.
- Use preservativos e higienize as mãos, genitália, períneo e região anal antes e após as relações sexuais.

Prevenção da hepatite B:

A vacinação é a forma primordial e altamente eficaz para prevenir a hepatite B, sendo considerada segura.

- Utilize preservativos em todas as relações sexuais para evitar a transmissão do vírus.
- Evite compartilhar objetos pessoais, como lâminas de barbear, depilar, escovas de dente, materiais de manicure e pedicure, equipamentos para uso de drogas, assim como evitar a realização de tatuagens e colocação de piercings com materiais não esterilizados.
- É fundamental realizar testes para hepatite B em mulheres grávidas ou que planejam engravidar, visando prevenir a transmissão vertical da mãe para o bebê.
- A administração de profilaxia para o recém-nascido após o parto reduz significativamente o risco de transmissão vertical do vírus.

Prevenção da hepatite C:

Não existe vacina contra a hepatite C. Confira abaixo como evitar a infecção:

- Não compartilhar objetos que possam ter entrado em contato com sangue, como seringas, agulhas, alicates e escovas de dente.
- Utilizar preservativos nas relações sexuais para prevenir a transmissão dos vírus.
- Evitar compartilhar qualquer objeto utilizado para o uso de drogas.
- Mulheres grávidas devem realizar exames durante o pré-natal para detectar hepatites B e C, HIV e sífilis. Caso o resultado seja positivo, é fundamental seguir todas as orientações médicas.
- O tratamento da hepatite C não é recomendado durante a gravidez, mas após o parto, a mulher deve buscar tratamento adequado.

Prevenção da hepatite D:

A hepatite D ocorre em pacientes infectados com o tipo B, portanto, a vacina contra a hepatite B, protege contra o tipo D, também.

Prevenção da hepatite E:

A melhor forma de evitar a doença é melhorando as condições de saneamento básico e de higiene, tais como as medidas para prevenir a hepatite do tipo A.

Unidades Básicas de Saúde

UBS DRA. LUCILENE MOSCA MELIN
Rua Frederico Zanella, 375 – Centro
Contato: (19) 3948-5300
WhatsApp: (19) 99758-6604
 
UBS MIGUEL FRANCISCO MILAN – BURCK
Rua Martinho de Ludres, 700 - Residencial Burck
Contato: (19) 3878-2016 | (19) 3878-0411
WhatsApp: (19) 99939-5495

UBS VICE-PREFEITO JOÃO ALCEU DIAS – JD 21 DE MARÇO
Rua Luiz Gonzaga, 375 – Jd. 21 de Março
Contato: (19) 3878-2656 | (19) 3878-7973
WhatsApp: (19) 99638-2742
 
UBS ROSINA STURARO CAVALLI – VISTA ALEGRE
Rua Pedro Bassi, 506 – Vista Alegre
Contato: (19) 3848-4172
WhatsApp: (19) 99942-3475 | (19) 99949-1853 | (19) 99638-3407 | (19) 97113-9407
 
UBS GILBERTO AJJAR - MONTERREY
Rua Quiproquó, 55 – Monterrey
Contato: (19) 3878-5236
WhatsApp: (19) 99681-7316
 
UBS ANTONIO CARLOS DOS SANTOS – P.A.S.
Rua São Carlos, 177 – Bairro Santo Antônio
Contato: (19) 3848-1158 | (19) 3848-1062 | (19) 3848-1201
WhatsApp: (19) 99948-1597