Governo | 15/01/2021

Prefeitura abre comportas de represa após chover em 3 dias 43% do esperado para janeiro inteiro

O nível da represa saltou de 1,5 metro de profundidade na última terça-feira (12) para 4,5 metros nesta sexta-feira. A capacidade máxima de armazenamento é de 5 metros de profundidade. Acima disso, o reservatório transborda

A Prefeitura de Louveira teve que abrir as quatro comportas da Represa do Córrego Fetá nesta sexta-feira (15), por volta das 12h, por conta da grande quantidade de chuva registrada na região nos últimos dias.

O nível da represa saltou de 1,5 metro de profundidade na última terça-feira (12) para 4,5 metros nesta sexta-feira. A capacidade máxima de armazenamento é de 5 metros de profundidade. Acima disso, o reservatório transborda.

Nas últimas 72 horas (ou três dias), foram registrados 95 milímetros de chuvas em Louveira, segundo dados da Defesa Civil. O índice equivale a cerca de 43% do total de chuvas esperado para todo o mês de janeiro, que segundo a média histórica na cidade é de 220 milímetros.

A decisão de abrir as comportas foi tomada depois de avaliação da Defesa Civil no local, além de análise da previsão de tempo, que indica mais chuvas para a região nos próximos dias. A abertura foi uma forma de assegurar que não haja risco de transbordamento.

Um monitoramento na represa tem sido feito de forma cuidadosa e de hora em hora. Além de avaliar o nível da água, os técnicos precisam considerar as chuvas em áreas a montante (que trazem água para o córego Fetá), que têm impacto direto na represa, como o Rio Capivari. Se chover muito nesse lugares, grandes quantidades de água vão continuar a chegar.

“Estamos verificando os locais que são mais vulneráveis para alagamentos e enchentes, fazendo medições e visitas a cada hora, e analisando dados de monitoramento regional e da previsão de tempo”, disse Cássio Eduardo Garcia, coordenador da Defesa Civil em Louveira.

Segundo o secretário de Água e Esgoto de Louveira, Mateus Bento Batista Arantes, o plano para encher a represa previa que ela recebesse toda a quantidade de água dentro de um período de quatro meses.  “Toda a água que escoa da Estrada do Bugio, da Rodovia Romildo Prado e da região do Monterrey acaba indo para a represa, o que fez que ela enchesse tão rápido com a grande quantidade de chuva nos últimos dias”, disse o secretário.

A represa é a primeira da cidade e foi planejada para se tornar seu maior reservatório de água. Fica no bairro Leitão, ao lado da Prefeitura, mas suas obras ainda não estão concluídas. Ela também não recebeu um nome oficial por conta disso.

Com a construção da represa, a Prefeitura espera ampliar em 16 vezes a capacidade de armazenamento de água, garantindo abastecimento para períodos de estiagem prolongada. O reservatório tem 115 mil metros quadrados de área e capacidade para armazenar 600 milhões de litros de água.

Desenvolvido por: Web e Ponto